Loading...

ERRANTES

CRIAÇÕES > ERRANTES


Errantes: uma jornada em nove episódios é uma obra composta por vídeos gravados, podecast, videoconferências artísticas e ações pontuais na rua transmitidas ao vivo. Utilizando-se da estética da internet, de imagens caseiras e de novas possibilidades trazidas pelas plataformas virtuais, os artistas criaram nove episódios que embora sejam independentes também se complementam. O trabalho aproxima o personagem bíblico, Jesus Cristo, da realidade atual e explora seu potencial político e poético, levantando temas que continuam presentes na história humana. Nessa jornada, o Teatro Público contou com a participação de vários artistas convidados que lançaram mão das noções conviviais e relacionais da história de Cristo para propor encontro e partilha de afetos entre artistas e público.

O primeiro episódio – “Prólogo” – é um vídeo documental produzido por Pedro Carvalho (Naum Produtora) que relata o processo de criação do trabalho, durante o isolamento. O episódio II – “Ceia” propõe um espaço para comer e beber junto ao público, como pretexto para compartilharem memórias e afetos. “Quedas” (III) é composto por vídeos caseiros protagonizados pelo ator Marcelo Alessio e editados por Luiz Dias a partir da estética do meme. O “Julgamento” (IV) leva os espectadores a um tribunal virtual com o personagem Judas Iscariotes, que pede a revisão da acusação como “discípulo traidor”. Neste episódio o ator Rafael Bottaro explora diversos mascaramentos digitais disponíveis nas plataformas online. Em “Mães” (V), a atriz Pipe Montesano compartilha a história de Jéssica, cuja vida se aproxima, em alguns momentos, da trajetórias de Jesus e da própria artista.

No episódio “Faces” (VI), uma videoinstalação a céu aberto no bairro Nazaré (BH), o ator Diego Poça atrita a sua corporeidade de homem negro com a imagem amplamente difundida de um Jesus branco-europeu, por meio da projeção de um vídeo editado por Akner Gustavson e Rafael Bottaro. “Morte” (VII), com orientação sonora de Tatá Santana e montagem de Rafael Bottaro, propõe um programa da Rádio Boa Nova no formato de podcast. “Recomeço” (VIII) é um ato performativo realizado pela atriz Luciana Araújo que caminha a pé do bairro Paraíso ao bairro Nazaré semeando palavras ao longo do percurso. E, por fim, “Epílogo” (IX), encerra a jornada virtual de “Errantes” com um vídeo gravado coletivamente e realizado por cada artista em sua “janela” virtual do Zoom.

Sinopse: Diante da impossibilidade de habitar o cotidiano, as ruas e os bairros da cidade, e na busca por outros caminhos possíveis, passamos a habitar os espaços virtuais. Habitamos também a história de jesus cristo – trajetória milenar, amplamente conhecida, recontada e cultuada em diversos territórios do mundo. Reconhecemos nas estruturas que fundam essa mitologia caminhos para se falar do agora, para se estabelecer encontros e imaginar coletivamente outros modos de vida, mais justos, pautados pela partilha, respeito e amorosidade. Compartilhamos os frutos dessa aproximação em uma jornada de 40 dias, dividida em nove episódios. Esta errância é um gesto artístico possível nesse tempo que se mostra tão duro, deturpado e violento. Trajetória inventada enquanto caminhamos e imaginamos coletivamente.

— Ficha técnica

Direção: Rafaela Kênia
Dramaturgia: Raysner de Paula
Atuação: Diego Poça, Luciana Araújo, Marcelo Alessio, Rafael Bottaro, Rafaela Kênia e Pipe Montesano
Orientação de pesquisa: Nina Caetano, Julia Guimarães e Larissa Alberti
Visualidade: Luiz Dias e Helaine Freitas (figurino), Jordana Ferreira (cenário) e Rafael Bottaro (mascaramentos)
Composição musical e orientação sonora: Tatá Santana
Coordenação de produção: Luciana Araújo
Produção: Charles Valadares e Akner Gustavson
Registro Fotográfico: Pedro Carvalho
Design gráfico/Webdesign: Felipe Chimicatti
Interpretação em Libras: Carol Mezanto
Planejamento de Comunicação: Rizoma Comunicação Integrada e Arte
Assessoria de imprensa: Beatriz França
Gestão de redes sociais: Letícia Leiva
Gestão de projeto e prestação de contas: Pipe Montesano
Realização: Teatro Público